20100822

: O lado 'azul' dos Led Zeppelin :



Led Zeppelin - You shook me


You Shook Me

You know you shook me
You shook me all night long
You know you shook me, baby
You shook me all night long
You shook me so hard baby
Baby, baby, please come home

I have a bird that whistles
And I have birds that sing
I have a bird that whistles
And I have birds that sing
I have a bird won't do nothing, oh!
Oh, oh, buy a diamond ring
You know you shook me, baby
You shook me all night long
I know you really, really, did baby
I said you shook me, baby
You shook me all night long
You shook me so hard, baby
You shook me all night long

: Arizona Dream :




A vida como ela é. Por Emir Kusturica.




E a música é fenomenal!

20100813

: Juana Molina :




O CCB apresentou-me esta Senhora Argentina, Juana Molina, que gostei muito de conhecer. Ela faz TODOS os sons sozinha no palco (embora neste video tenha acompanhantes). E põe toda gente a vibrar!


A solo, com uma guitarra, um teclado e uma loop station, Juana Molina é inimitável em concerto. Difícil de categorizar, é dentro do estilo folktrónica que a sua música costuma ser enquadrada.

20100812

: Os [quase] 10 apontamentos :


De malas em punho pra partir de férias para o norte do país e não é que na revisão ao carro nos levaram quase 600 euros!? Quase um ordenado. Ao que, fomos parar a Lisboa. Várias considerações serão necessárias apontar como momentos de fazer doer a bochecha.


Apontamento #1: 01/08 às 12h10. Já não se pode andar na estrada que as rapar'guitas decidem andar-se também por lá. Conclusão: Iamo-nos espetando de carro por causa dum rabo de saias.


Apontamento #2: 01/08 às 16h30. Mijinha no miradouro de Ourique. Molhei os pés. Benfeita para não andares a fazer em tudo quanto é sítio.


Apontamento #3: 01/08 às 20h. Recebo uma mensagem no telemóvel e apita um "pfiiiiiu, taxi!" [quem conhece o tom Cab do Nokia sabe do que falo] e toda gente levantou a cabeça a perguntar-se donde vem este som e que som estranho é esse. E eu [à dissimulada] fiz o mesmo e acompanhado de "o que foi isto?!".

Pairou uma certa inquietação... brr!


Apontamento #4: 01/08 às 20h10. Noori. Engulo o pequeno Noori e deparo-me com um senhor acompanhado do filho e da sobrinha (4 e 9 anos) e tratavam-se todos por "você", inclusivé as criancinhas entre si. No fim, enquanto o senhor arruma o tabuleiro a sobrinha coloca-lhe as seguintes e pertinentes questões: Tio diga lá como se escreve sushi para ver se sabe; e o cavalo tem quantas patas? ...... Ah.. Muito bem tio!


Apontamento #5: 01/08 às 21h45. CCB. Na wc ao lado alguém se peida [como sempre acontece numa wc ao lado] e ela pergunta-me em voz alta [e também à dissimulada] "O que foi isto??"


Apontamento#6: 04/08 às 22h30. Num sítio medonho cheio de pinchas a estacionar carros e embriagadíssimos. Andei uns 300 metros com metade do cu à mostra e ela nem reparou??


Apontamento #7: 05/08 às 14h. Num restaurante japonês [demasiado] formal. Ela sempre a querer manter a pose enquanto eu [metafóricamente] palitava os dentes e me sentava com uma perna debaixo do rabo [esta parte não é metafórica]. Continuando a manter a pose de fina, tira delicadamente o telemóvel da super mala que tem tudo, e colado traz um penso higiénico! E logo era um penso do Continente!


Apontamento #8: 05/08 às 15h30. Enquanto aguardávamos o começo do Contraluz [não me lembrem o facto de ter gasto dinheiro nesta merda]. Atrás de nós estavam duas senhoras dos seus 45 e 65 anos a comer pipocas ruidosamente. De repente a de 45 fez algo e a de 65 diz-lhe [parando de mastigar todas as pipocas que tinha na boca]: "O que é que estás a fazer? Mas que idade é que tu tens? 5??". A de 45: "Sim..". A de 65: "Então amanhã vou-te levar à escola". A criança, com toda a razão: "'Tou de férias..", continuando as duas a mastigar as suas pipocas, sem rir. Eu ri-me alto até chorar! E no intervalo a de 65 prá outra: "Já estou farta de te ouvir a comer".


Apontamento #9: 07/08. Eu: És tão girinha. Ela: Girinho é um bicho! [Acreditando piamente no que estava a dizer. Só queria pôr aqui aqueles bonequinhos ca lágrima no canto]



Umas férias muito produtivas. E girinhas.

: Caules. Frutos. Tempos :




Anoushka Shankar - Red Sun






Duas notas num tempo, um tempo.
Duas notas num tempo, um tempo.

Toca o jambé nos sentidos do Africano. E nos meus.
O corpo pertence à terra e faz jus a esse ideal. Enquanto a luz pede permissão para passar entre as folhas, incita os meus olhos a abrir e me afastar do som das cores flamejantes do sol que saem do instrumento, após cada intensa batida.

Três notas num tempo. Três notas num tempo.

Abandono a luz lá fora e faço subir os meus pés, descalços, pelo caule representante do que somos. O roçar da minha pele na sua dureza liberta o cheiro a castanho da casca dura que corre nas linhas dos meus pés. Promenorizando. Acentuando textura.

A música acelera e na busca de harmonia, o grilo brinca, a criança pousa no ninho, os pássaros discutem no cimo do banco de jardim, as pessoas chilream na relva ainda lamaçenta da água que renasceu para apurar o ar. O comboio flutua, rapidamente na minha linha da vida, o avião assobia acima. E, no bater das asas liberta três penas que caem sobre mim e me despertam.

Três penas num só tempo.
Uma, duas, três.