20090430

Alguém especial


When we used to spend evenings on the flower tops


Cada dia sem gozo não foi teu


"Cada dia sem gozo não foi teu
Foi só durares nele. Quanto vivas
Sem que o gozes, não vives.

Não pesa que amas, bebas ou sorrias:
Basta o reflexo do sol ido na água
De um charco, se te é grato.

Feliz o a quem, por ter em coisas mínimas
Seu prazer posto, nenhum dia nega
A natural ventura!"

Ricardo Reis





E tu não negas.. Obrigada por me ensinares isso. Os meus sinceros Parabéns!




Nina Simone - I wish I knew how it would feel to be free [1967]

20090429

Nós





Lutamos para encontrar ligações viáveis entre nós.
Somos o amigo que se preocupa...
O pai amoroso...
A mãe coruja, o filho protegido.
Lutamos e amamos,
na esperança que de alguma forma, juntos,
possamos entender a nossa relevância no universo.
Mas no final, ninguém pode partilhar o nosso fardo.
Cada um de nós, sozinho, terá que responder à pergunta
Quem sou eu?
O que significa estar vivo?
E na vasta infinidade temporal
qual a minha importância?

Heroes

20090428

Gestos



Suspiros.

Tento expulsar o que está cá dentro.

Olhei para ela, mas com olhos de ver. Custa-me ver o sofrimento provocado pela tristeza, o quão profunda pode ser a solidão e o desespero em que tal se torna. Só não quero ficar assim um dia. Não quero. Enquanto isso, vou vendo as pessoas. Às vezes basta um gesto.

20090427

Momentos únicos

Original de Nina Simone - Sinnerman


Papéis mal rasgados, letras rabiscadas, desenhos com sentido de humor, olhares cúmplices, rir quando não se pode, cusquice, música alta, noitadas, nariz insensível, correr para o autocarro, o autocarro correr de nós, "vou cair no autocaaaaarro!", cheiro a suor, madrugadas a pensar, tardes a rir, new wave, capuccino, calças justas, barriga à mostra, chorar a rir, carantonha da Eva-transportes, engasgo de água no autocarro, fórum algarve, cinema, sombras na cara, "bete alça a perna que vem onda", "a igrejinha", "slide and splash? que perfume é esse?", sandes de atum, pastelinho de nata, noite da bruxaria, "quem está aí?", cagate and run, vómitos com o esparguete, almôndegas, caganeiras, nervoso miudinho, a outra cas calças em baixo, marbella com seis pessoas, semana académica, shots, tgv... e depois deste é a escuridão. Saudades. E, por vezes, saudades de ter saudades.

20090426

Começa no GI e acaba no CHUU




Bushido (literalmente, "caminho do guerreiro") era um código de conduta não-escrito e um modo de vida para os Samurai (a classe guerreira do Japão feudal ou bushi), que fornecia parâmetros para esse guerreiro viver e morrer com honra.


As 7 Virtudes do Bushido:
GI (義) - Justiça e Moralidade, Atitude directa, razão correcta, decidir sem hesitar;
YUU (勇) - Coragem, Bravura heróica;
JIN (仁) - Compaixão, Benevolência, simpatia, amor incondicional para com a humanidade;
REI (礼) - Polidez e Cortesia, Amabilidade;
MAKOTO (誠) - Sinceridade, Veracidade total, nunca mentir;
MEIYO (誉) - Honra, Glória;
CHUU (忠) - Dever e Lealdade, Devoção, Lealdade


Chuu, que isto tá difícil até de eu cumprir quanto mais Yuu.


Parece-me a mim que nem uma virtude completa consigo ter..

20090425

Mais que corpo

Mark Harris . Nude 002 [2009]


Mais que tudo, a simplicidade da alma.

Para o outro lado



Mozart - Requiem (Mix)


A missa fúnebre Requiem foi a sua última composição e talvez uma das suas melhores e mais famosas obras, não apenas pela música em si, mas também pelos debates em torno de até qual parte da obra foi preparada por Mozart antes de sua morte, e quanto foi posteriormente finalizada por seu amigo e discípulo Franz Xaver Süßmayr. O que é certo é que se diz que a preparou especialmente para a sua morte, que se encontrava perto.

Como não é esta a mensagem de morte que quero passar neste post, deixo-vos o remix da música. Assim sim, mais adequado.


António Lobo Antunes escreve o prefácio do livro de Tolstoi, A morte de Ivan Ilitch, questionando se se trata de uma obra sobre a morte ou de uma obra que nega a morte. Considera, acima de tudo, que é um retrato implacável da nossa condição. Eu concordo.
Uma coisa é certa, na minha visão: importa o que fazemos da nossa vida, de que forma a vivemos e a fazemos valer. O negar a morte é uma analogia do descobrir-se a si próprio, conhecer-se, e saber que seguimos a nossa vida pelo caminho certo e ultrapassando os obstáculos com que nos deparamos com força e esperança. E que estimámos os que estão perto de nós. E que fizemos mais, pelos outros e por nós mesmos. Se este é o caminho, a morte não importa. Cumpramos apenas o nosso dever.

Nesse preciso momento Ivan Ilitch afundou-se, viu a luz e revelou-se-lhe que a sua vida não tinha sido o que devia ser, mas que isso ainda podia ser remediado. Perguntou a si mesmo: o que é então "isso" e ficou quieto, à escuta. E então sentiu que alguém lhe beijava a mão. Abriu os olhos e olhou para o filho. Sentiu pena dele. A mulher aproximou-se. Ele olhou-a. Ela olhava para ele de boca aberta e lágrimas no nariz e na face, olhava-o com uma expressão de desespero. Sentiu pena dela (...) Queria ainda dizer "perdão" mas disse "permissão" e, já incapaz de se corrigir, agitou a mão sabendo que seria entendido por aquele que o devia entender. E de súbito tornou-se-lhe claro que aquilo que o afligia e não o largava lhe saía de repente tudo de uma vez (...) "Que bom e que simples", pensou. "E a dor?... Que é dela? Então, dor, onde estás tu?... E a morte? Onde está ela?". Procurava o seu habitual medo, o anterior medo da morte e não o encontrava. Onde está ela? Qual morte? Não tinha medo nenhum, porque também não havia morte (...) Inspirou o ar, parou a meio de um suspiro, esticou-se e morreu".
Lev Tolstoi

20090423

Blonde Redhead




Rapariga esquisita, mas interessante.


Bem, estes são os Blonde Redhead, que se formam em 1993 - os irmãos gémeos italianos Simone e Amadeo Pace e a menina japonesa Kazu Makino. A sua música: "...noisy, dissonant guitars, alternate tunings, and quiet, stilted lyrics" [Allmusic].

Pah, digam o que disserem, eu adoro este grupo. Transpiram um certo je ne sais qoi, essência, excentricidade, mistério.. e as melodias e a forma como conjugam os instrumentos faz-me sentir noutro mundo.


Para mim o álbum mais recente, 23, é fabuloso. Perdemo-nos nesta melodia. Ouçam-no com ouvidos de ouvir, assim que tiverem oportunidade.

23 - Blonde Redhead [2007]



E já agora, com uma especial..

Girl Boy [1995]



20090420

Coisas delicadas

Involvement with people is always a very delicate thing - it requires real maturity to become involved and not get all messed up.
Bernard Cook

Aiai.

20090419

Ligação

I need some ligaments,
já diria o famoso Archmed, the Dead Terrorist.

Ligaments a vários níveis. Muita coisa necessita ser ligada, estruturada, como peças de puzzle que no seu particular não fazem qualquer sentido. É preciso uni-las, pensá-las, olhá-las. Não é fácil fazê-lo e, às vezes, não queremos fazê-lo. E ainda outras vezes não sabemos como fazê-lo. E só pensar não chega, o sentimento manda muito. Em mim manda. I need some ligaments.

The child in us

Para ouvir com os olhos fechados..

Enigma - The Child in us (1996)


"The Child in us" lyric

Who is of smiling face, bestower of all fortunes, whose hands are ready to rescue anyone from fear, who is adorned by various ornaments with precious stones
Puer natus est nobis, et filius datus est nobis:cujus emperium super humerum...
For to us a child is born, to us a son is given: and the government will be upon his shoulder.. Some day you came And I knew you were the one You were the rain, you were the sun But I needed both, cause I needed you You were the one I was dreaming of all my life When it is dark you are my light But don't forget Who's always our guide It is the child in us

20090417

O que é dito sem ser dito

"Ironia é quando as pessoas se observam a si mesmas e analisam os outros à luz de um olhar objectivo, para aí descobrirem o lado cómico e grotesco da coisa".
Haruki Murakami

Adoro uma boa ironia, metáfora, analogia.

20090415

Muita expressão junta




Expressivo, persistente, atleta, com espírito de iniciativa, com dedos longos e finos... Se há boneco com mais piada na história dos filmes de animação, do que o esquilo-dente-de-sabre na busca incessante pela semente de carvalho! Não podia deixar de fazer uma homenagem ao Scrat, ele merece.


O novo filme Idade do Gelo: Dawn of the Dinosaurs, estreia em meados de Julho. Não percam o Trailer. Pah, é impossível não rir! Ciciar, quando estrear cá vamos nós pró cinema, rir que nem umas malucas cas pernas pró ar!

Para além das longas-metragens na Idade do Gelo, o Scrat participa em duas curtas-metragens, Gone Nutty (2003) e No time for nuts (2006) [podem vê-las clicando].




Que personagens de animação são de vossa eleição? Quero saber!

20090413

Provérbio

Temos de começar a definir as coisas bem definidas. Não me venham com tretas de que os verbos têm de ser conjugados com uma regra. Cada um sente de sua forma certo? Vá, vamos lá concordar. Um pequeno exemplo, no Presente do Indicativo, porque "gostos não se discutem".

Eu como
Tu pode ser que venhas a comer
Ele NÃO come
Ela come
Nós comemos
Alguns de Vós comeis
Eles nem todos comem


Cansei de Ser Sexy [não sou eu] - Let's make love and listen death from above (2006)

20090412

Respira-me

Há pessoas tão envolventes. Que nos querem, nos consomem e nos respiram. É bom. Respira-me [Por favor].
Uma bela música com um interessante vídeo. A qualidade não é a melhor mas..


Sia - Breathe Me (2004)

20090411

Procedimento inteligentemente desenvolvido

Prince - Kiss (1984)


É o acto de tocar os lábios nos lábios de outra pessoa. Antigamente o beijo era utilizado de várias formas e com infinitos significados. Na Idade Média o beijo na boca representava uma espécie de contracto entre o senhor feudal e o vassalo (era tipo “dou minha palavra”). Foi apenas no século XVII que os homens acabaram com o hábito de beijar uma pessoa do mesmo sexo [Que Piada!]. O beijo está presente em todas as religiões.

“O beijo é um procedimento inteligentemente desenvolvido para a interrupção mútua da fala quando as palavras se tornam desnecessárias.” Autor Desconhecido

Mais que qualquer coisa



20090410

Porquê ela..

"Após uma rápida instrospecção ao interior do estabelecimento, o nosso olhar recai sobre uma rapariga sentada ao pé da janela. Porquê ela? Porque não outra pessoa qualquer? Torna-se difícil explicar. Mas, por qualquer razão, é ela que capta a nossa atenção - muito naturalmente, diga-se de passagem (...) Nota-se que está muito absorvida pela leitura. Raramente levanta os olhos das páginas do seu livro... De repente, sem nada o faça prever, leva um cigarro aos lábios... Semicerra os olhos , sopra o fumo distraidamente para o ar, pousa o cigarro no cinzeiro, e depois, como se procurasse suavizar os efeitos de uma dor de cabeça que se anuncia, massaja as têmporas com a ponta dos dedos".

After Dark, Haruki Murakami


Porquê ela? Pela sua própria ausência, pela naturalidade, pela despreocupação, pela firmeza e segurança. Pelo mistério. Isto basta. E esta é a grande razão por não ser outra pessoa qualquer.


Twin Peaks - Intro

Cheese!




- Bzii, bzii, kityy kity kityy... Quietinho, não acorda.. Vá tira a foto rápido. Ele morde? - Só quando fecha a boca. - Baaaah!
Uma pessoa faz com cada figura para tirar a foto certa e "engraçada". "Vá tira tira!". Fica meia hora com aquele sorriso que não acaba nunca, que depois passado uns segundos já seca a boca e todas as entranhas e, na foto, sai tudo menos normal. Mas faz parte. Eu sou do contra, não digo cheese! mas sim banana!


Eu tenho uma foto de UMA estátua a apalpar-me o cu, mas não, não vou mostrar, tenho vergonha. Magana moça aquela.

20090409

: New Joy :

Joy Division - Atrocity Exhibition (1980)





Gosto de New Order. E gosto muito de Joy Division. O engraçado foi quando eu descobri (passado um tempinho) que as duas bandas tinham três coisas em comum: Bernard Summer, Stephen Morris, Phil Cunnigham. Estes três elementos faziam parte dos Joy Division e formaram os New Order uns meses após o suicídio de Ian Curtis, o vocalista da primeira banda.

Os Joy Division [o nome veio do livro "House of Dolls", de Karol Cetinsky. Nesse livro Joy Division (Divisão da Alegria) é o nome dado para a área onde as mulheres judias são mantida prisioneiras e "oferecidas" sexualmente aos oficiais nazis] eram uma banda inglesa Pos-Punk que teve um enorme sucesso enquanto durou (1977-1980), tendo portanto uma grande influência do movimento punk. Veio o primeiro álbum da banda, Unknown Pleasures (1979), albúm este que causou grande alvoroço entre o público e a crítica, devido à sua sonoridade soturna e às letras intimistas. No ano seguinte, o quadro clínico de Ian piorou, com o agravamento da sua epilepsia e dos problemas conjugais, tendo cometido suicídio em Maio de 1980, um dia antes da viagem dos Joy Division para os Estados Unidos, onde fariam a sua primeira toorne internacional. Devido a problemas na tiragem, Closer tornou-se um álbum póstumo, só sendo lançado em Julho.

Se tiverem oportunidade vejam o filme Control (2007), baseado na vida de Ian Curtis.


Os New Order (ideia de mudança e de renascimento), foram um dos nomes da música popular que mais contribuíram para a difusão da música electrónica, ao lado de bandas como os Depeche Mode e os Pet Shop Boys. Pioneiros na ligação da música electrónica ao Rock, revolucionaram a que é hoje conhecida como Dance Music. Até hoje lançaram 7 albúns.



Aqui ficam com uma dos New Order - Crystal (2001)



20090408

Espiga ao vento


Boas memórias me traz esta foto. Deitadas na areia, onde ainda ninguém pisara. A luz do sol num constante ricochete nas ervas e nos meus olhos, agradados por essa dádiva. Presenteava-me o odor da areia quente e da maresia, o vento suave na cara e a onda que se ouvia.. A natureza é uma coisa bela; e nós pequenos em relação a ela.

Arroz para quase todos os gostos

Há quem goste muito de arroz com amendoins. Pah, há quem goste, pronto. E eu adoro. E claro que se vou a um Restaurante Indiano, é logo a primeira coisa que peço, ou... que deveria pedir. Mas creio que desta vez fui um pouco mais audaz (leia-se que tem audácia, audacioso, atrevido). Creio. Não estava num país em que falassem a minha língua e uma pessoa aqui e ali confunde-se. A modos que me virei para o senhor e perguntei Do you have rice with penis? Acho que fiz uma cara de estranheza e abanei a cabeça e ri-me um pouco descontrolada e apanhada de surpresa. Vejo as minhas amigas a rir.. Assim naquele descontrolo voltei a perguntar, mas desta vez correctamente... Rice with peanuts, I mean. Desejei, naqueles infindáveis segundos que ele não me respondesse I have but it's not for you ou outra frase qualquer que ele achasse pertinente e engraçada. Fora de pertinências, se por acaso tivesse largado a dita cuja frase, só teria a agradecer se fosse essa a resposta. Ufa.

20090407

Janis Joplin





Agora com esta dor de tornozelo passo o tempo sentada à frente do pc. O que é que se estava a esperar senão pesquisas e mais pesquisas, leituras, música, etc. Tenho aqui no meio disto tudo a focar a Sra. Janis Joplin.

Deixo-vos aqui com um pouco da sua história. Nascida em 1943, nos EUA, desde adolescente que se identifica com as influencias de Blues. Adopta uma postura de rebeldia durante toda a sua vida e em 1963 o seu consumo de drogas aumenta, principalmente de heroina, bebendo também muito durante toda a sua carreira. Lançou vários albuns, nas bandas a que pertenceu e a sua música teve grande influência sobre a comunidade hippie. Em 1970, morre de overdose de heroína, com apenas 27 anos, deixando para trás e para os nossos ouvidos uma grande colecção de músicas no registo Blues, marcada pela sua voz inconfundível. Foi lançado ainda o album Pearl seis meses após a sua morte. O filme The Rose baseou-se na sua morte.


In between she led a triumphant and tumultuous life blessed by an innate talent to convey powerful emotion through heart-stomping singing (Official site). She also did much to redefine the role of women in rock with her assertive, sexually forthright persona and raunchy, electrifying on-stage presence (Allmusic site).

Esta música que vos deixo retrata o desespero de quem sofre. Ouçam a letra. E sintam como ela sente e transmite o que canta.

An Experiment on a Bird in the Air Pump



Um quadro espectacular the Joseph Wright (1768) - An Experiment on a bird in the Air Pump.
Tive o prazer de ficar sentada à sua frente, na National Gallery em Londres, durante tempo indeterminado a apreciar cada um dos seu pormenores. É um quadro enorme (183x244) e por momentos pensei que fazia parte dele, tamanha é a envolvência. Chega a ser desconcertante tantos sentimentos envolvidos e cada uma das personagens com o seu próprio sentimento. E a luz como centro do quadro. É demasiado real.

A travelling scientist is shown demonstrating the formation of a vacuum by withdrawing air from a flask containing a white cockatoo, though common birds like sparrows would normally have been used. Air pumps were developed in the 17th century and were relatively familiar by Wright's day. The artist's subject is not scientific invention, but a human drama in a night-time setting. The bird will die if the demonstrator continues to deprive it of oxygen, and Wright leaves us in doubt as to whether or not the cockatoo will be reprieved. The painting reveals a wide range of individual reactions, from the frightened children, through the reflective philosopher, the excited interest of the youth on the left, to the indifferent young lovers concerned only with each other. The figures are dramatically lit by a single candle, while in the window the moon appears. On the table in front of the candle is a glass containing a skull.


Não deixem de ver pormenorizadamente o quadro, no sítio:

http://www.nationalgallery.org.uk/cgi-bin/WebObjects.dll/CollectionPublisher.woa/wa/loadApplet?workNumber=NG725&collectionPublisherSection=work

"Sentir..."

Escrito por uma pessoa especial, que ainda não percebeu que tem de fazer o seu próprio blog! A banda sonora também é escolhida por ela.

Klepth - Embora Doa



"A cara de quem não vai voltar a ser o que era, para quem o seu mundo desabou. Ora por ter perdido tudo ora por ter perdido aqueles que faziam parte de si. A expressão é de uma tristeza avassaladora que toca quem de fora examina. Sentimos compaixão por essas pessoas, mesmo sem nunca as termos visto; no entanto seguimos com as nossas vidas e deixamos o tempo curar tudo. E esquecemos... Mas a vida continua do lado de lá e só quem passa pelas experiências e sente o terror e o medo e sofre todos os dias sem ninguém notar, sem a ninguém contar... e vive e revive o acontecimento todos os dias e pensa: "E se..." Os do lado de cá aceitam que deve ser muito difícil," ...coitados, perderam tudo.." mas não sabem o que dizem, não compreendem o significado das sua próprias palavras, porque não viveram, porque não estavam lá; mas principalmente porque não sentiram! Não sentiram a angústia de nada poder fazer para se salvar, para salvar os seus... Não podemos compreender o que não sentimos, por mais que se tente ser o outro por instantes, para além disso situações idênticas transformam diversas pessoas de maneiras diferentes..."
F.S.

Lullaby

Um grande grande som. Não aconselho o vídeo a pessoas mais sensíveis mas ajuda a entender a música. Óptima! Ouçam-me o baixo e a batida muito à 80's.

The Cure - Lullaby (1989)

Dor de tornozelo

Práqui estou eu há uma hora sentada com o pé pró ar, sem encontrar posição pra me pôr. Pah, não tenho muita paciência para estar parada, principalmente se não posso mexer uma parte do meu corpo. Esta música é a banda sonora da minha mudança de posição constante (que piada, uma vez que não mudo mais que o cu já que o pé não pode sair do lugar!), o querer saltar daqui pra fora e o meu ar de frete. E ainda faltam uns quantos dias para o poder fazer. Os dedos de fora, aglomerados à procura de uma cor diferente de roxo, mas sem efeito.
The thing is... o jogo da mosca, sabem? 'Tava a jogar cos miúdos (como se ainda tivesse idade para essas coisas) e pronto, vá de pisar a última pedra... um tijolo aliás! e zás, no meio do chão. Agora dói-me o tornozelo, 'tá todo inchado e cos ligamentos não sei bem onde nem a fazer o quê. Dói dói.
E ai de quem me chame coxa! Ou mais carinhoso, "coxinha"!

Aretha Franklin - Respect (1967) [Para quem não sabe esta música é de Otis Reading]

20090405

Best of 80's

Bem, tal como tinha dito aqui vão as minhas músicas de eleição dos 80's. Deixo-vos com uma delas, pela qual tenho uma grande paixão.

The Waterboys - The whole of the moon
Katrina and the waves - Walking on sunshine
Prince - When doves cry
Dire Straits - Money for nothing
Aha - Take on me
INXS - Suicide blonde
Michael Jackson - Don't stop till you get enough/Beat it/Billy Jean
Bananarama - Bananarama
Nowhere Fast - Fire Inc.
Abba - Voulez-vous

The Waterboys - The whole of the moon (1985)




E desta feita, desafio a Caramela, Verisimile e Ciciar para fazerem o mesmo! E passem a três amigos!

20090404

Not eve..

Alguém, ingénuamente, me disse: a rapariga tem um ar not eve não tem?
A modos que não costumo ter problemas em dar opiniões mas não era nisso que me centrava no momento... not eve? Ri-me. Quereria dizer naive? Claro que tinha percebido. Mas, podendo não ser isso, e como eu adoro destrinçar tudo muito bem destrinçadinho cá vou eu..


Para começar traduzo isto para português - Not eve = Não é a Eva. Ora se não é a Eva, quem é então?


1. "... Eva também foi criada directamente por Deus. Diz a narrativa que Deus teria tomado uma costela de Adão... Eva, e mais tarde Adão, teriam comido o fruto proibido por Deus... Surgiria para os cristãos aqui a noção de pecado herdado - tendência inata de pecar... Após comerem do fruto proibido, Adão e Eva tiveram ciência de que andavam nus e, por isso, esconderam-se ao notar a presença de Deus no Jardim do Éden.Deus os expulsou do jardim do Éden, e deu-lhes roupas de pele animal". (Tão a ver? Quem foi o incentivador desta moda!!? Mas este não é o ponto importante). Pronto já percebemos que a Eva é a eterna pecadora, comeu a maçã e pronto, 'tá safa. À vossa esquerda podem ver a imagem que o comprova. Fó.


2. "Public bus company operatiing across Algarve and Portugal" (também não é ponto importante mas Eva-transportes não é português??).




3. Eva no seu melhor. Dada a agressividade, nem vale a pena comentar a imagem à direita.





Conclusão: A Eva é uma pecadora e para além disso uma companhia pública de autocarros. Afinal, a pobre e ingénua rapariga tinha razão no que dizia, que "a rapariga tem um ar not eve não tem?". Sim, ela tinha tudo menos ar de pecadora e não tinha tamanho para outra coisa. Ora, tinha portanto um ar ingénuo. Já lhe ensinei que não é not eve, mas sim naive. Confundiu-se pronto. E tinha razão afinal. Então se não é Eva, é outra pessoa qualquer (talvez ela própria), logo não é pecadora, sendo portanto virtuosa (antónimo). Virtuosa não fica muito longe de ingénua. Vá pronto, eu dou o braço a torcer, menina Not Eve.

20090403

Pequenas, grandes, delícias

O meu jantar hoje.. que me vou deliciar!

E se..

Eu não tenho palavras para descrever o que sinto com esta música - Beatriz, do Chico Buarque. No entanto, aposto nesta interpretação da Maria João e Mário Laginha que está fenomenal, principalmente no que diz respeito ao "quadro" que elaboram da música. Cada um tem a sua forma de ver e sentir, eu tenho a minha.
Isto tem de ser ouvido com sentimento. Ouçam, vejam, deliciem-se. Como eu fiz.

Beatriz
Chico Buarque
Composição: Edu Lobo/Chico Buarque

"Olha/Será que ela é moça/Será que ela é triste/Será que é o contrário/Será que é pintura/O rosto da atriz
Se ela dança no sétimo céu/Se ela acredita que é outro país/E se ela só decora o seu papel/E se eu pudesse entrar na sua vida
Olha/Será que ela é de louça/Será que é de éter/Será que é loucura/Será que é cenário/A casa da atriz/Se ela mora num arranha-céu/E se as paredes são feitas de giz/E se ela chora num quarto de hotel/E se eu pudesse entrar na sua vida
Sim, me leva pra sempre, Beatriz/Me ensina a não andar com os pés no chão/Para sempre é sempre por um triz/Aí, diz quantos desastres tem na minha mão/Diz se é perigoso a gente ser feliz
Olha/Será que é uma estrela/Será que é mentira/Será que é comédia/Será que é divina/A vida da atriz/Se ela um dia despencar do céu/E se os pagantes exigirem bis/E se o arcanjo passar o chapéu/E se eu pudesse entrar na sua vida"
Repartam comigo a vossa leitura/interpretação.